Festas Juninas, por que não?

FESTA JUNINA, POR QUE NÃO –  I JOÃO 2:15,16 / TIAGO 4:4

INTRODUÇÃO

Como cristãos, precisamos estar preparados para responder as questões que envolvem a nossa fé. Nossas convicções precisam ser mostradas de maneira clara. Não basta apenas dizer que não concordamos. As pessoas não se satisfazem mais apenas com respostas superficiais. Somos convidados a uma explanação mais detalhada acerca de assuntos polêmicos. Um desses assuntos, sem dúvida, é sobre as Festas Juninas. Afinal, devem ou não os cristãos, principalmente nós evangélicos, envolverem-se com essa festa que é um misto de religião e folclore. Devemos tomar parte nisso ou não?

TRANSIÇÃO

Antes de respondermos a essa pergunta, é bom conhecermos de perto toda a historicidade dessa festa. Assim feito, veremos a questão bíblica onde encontraremos respostas ainda mais convincentes para embasar nossas respostas, uma vez que, essa e outras festas , são totalmente incoerentes com a fé bíblica. A  nossa oração é que no final deste estudo, nossa fé tenha sido fortalecida e nossas convicções aumentadas.

ORIGEM:

Mitologia Romana. Homenagem a deusa “Juno” cujas festas se chamavam “Junônias”, daí o nome, aportuguesado de “JUNINAS”. Também os povos Bascos, Celtas, Egípcios e Sumérios invocavam seus deuses neste período do ano, dançando e oferecendo-lhes alimentos e acendendo fogueiras .

PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES NO BRASIL

Foram trazidas pelos Portugueses em 1603, conforme registra o frade Vicente do Salvador. Com o tempo, foram sendo incorporados gradativamente, elementos como a “Quadrilha” uma dança francesa, os balões, bandeirinhas, rojões e todas as comidas típicas desta época.

FESTAS MAIS FAMOSAS NO BRASIL

Bahia, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba ,Ceará, Pará. A maior Festa Junina do mundo está em Campina grande na Paraíba e a de Caruaru  em Pernambuco, está no Guiness Book como a maior festa country ao ar livre do mundo.

PRINCIPAIS ELEMENTOS DAS FESTAS JUNINAS

QUADRILHA:

Uma dança Inglesa, que teve influência Portuguesa e que depois se tornou Francesa, vindo para o Brasil no século XIX. Inicialmente era dançada pela nobreza, depois se tornou popular. É uma dança em gratidão aos santos católicos São Pedro, Santo Antônio e São João pelas colheitas na roça.

BALÕES

Os Balões Juninos indicam o início da festa, mas foram criados para reverenciar os santos, agradecendo pela realização dos pedidos, normalmente relacionados ao namoro e ao casamento, onde as pessoas encontram seus pares românticos. A crendice popular afirma que se o balão subir, os pedidos foram aceitos pelos santos. Mas, se não subirem, os santos não foram favoráveis ao fiel. Hoje, essa prática é proibida por lei, uma vez que muitos acidentes são passíveis de acontecer, colocando em risco a segurança da população.

FOGOS

Os fogos se originaram na China, também como forma de agradecer aos deuses pelas boas colheitas. São elementos de proteção, pois espantam os maus espíritos, além de, segundo a crença, servir para acordar São João com o barulho.

COMIDAS TÍPICAS

São feitas à base de produtos agrícolas. Isso por que originariamente, os povos pagãos ofereciam essas comidas como oferendas a seus deuses em sinal de gratidão pelas colheitas.

 

 

SANTOS ADORADOS NAS FESTAS JUNINAS

O panteão católico é extenso. Mas nessa época, os mais comuns são: São Pedro, Santo Antônio e São João.

FERNANDO DE BULHÕES (ANTÔNIO) 13 DE JUNHO PORTUGAL  (15/08/1195 – 13/06/1231)

Cuidava de enfermos e ajudava a encontrar coisas perdidas. Também arranjava maridos para moças solteiras. Sua devoção foi trazida para o Brasil pelos Franciscanos. Esse santo é considerado o santo casamenteiro. Muitos acreditam piamente que ele tem poder para providenciar casamentos. Quanta ingenuidade.

JOÃO BATISTA (24 DE JUNHO) 29/08/5 A D – ??? 31 A D)

Foi o precursor de Jesus. A crendice popular diz que Isabel acendeu uma fogueira para avisar Maria de que ele havia nascido. Os fogos, como dito anteriormente, são para acordá-lo para participar dos festejos. Mas, o João Batista bíblico disse: “Importa que ele cresça e eu diminua” João 3:30 . Ele nunca aceitou para si qualquer tipo de adoração ou culto. Ele disse que não era digno de desatar as correias das alparcas do Messias. Sua humildade é patente através de sua vida de eremita. Era um verdadeiro servo de Deus e sempre apontava para o Messias.

PEDRO (29 DE JUNHO) BETSAIDA   1 A D – ROMA ? 67 A D)

A igreja católica o considera o primeiro Papa e afirmam que ele exerceu esse papado em Roma por 25 anos. Pedro não pode ter sido papa durante 25 anos, pois foi martirizado no reinado do imperador Nero, por volta do ano 67 ou 68 D.C. Subtraindo 25 anos, retrocederemos ao ano 42 ou 43. Nessa época, ainda não havia sido realizado o Concílio de Jerusalém (At15), que ocorreu por volta do ano 48 ou 49 D.C., quando Pedro participou (mas não deveria, porque, segundo a tradição, nessa época o apóstolo estava em Roma). No entanto, ainda que Pedro, segundo a opinião católica, tivesse participado do Concílio de Jerusalém, a assembleia fora presidida por Tiago (At 15.13-21).
No ano 58 D.C., Paulo escreveu a epístola aos Romanos e, no capítulo 16, mandou uma saudação para muitos irmãos daquela cidade, mas Pedro sequer é mencionado. Em 62 D.C., o apóstolo Paulo chegou em Roma e foi visitado por muitos irmãos (At 28.30,31), todavia, nesse período, não há nenhuma menção de Pedro.

O apóstolo Paulo escreveu quatro cartas de Roma: Efésios, Colossenses, Filemom (62 D.C.) e Filipenses (entre 67/68 D.C.), mas Pedro não é mencionado em nenhuma delas. Se Pedro estava em Roma no ano 60 D.C., como se deve entender a revelação referida no livro de Atos, em que Jesus disse a Paulo: “Importa que dês testemunho de mim também em Roma?” (At 23.11). Se Pedro estava em Roma, não caberia a ele estar cumprindo esta função? Onde se encontrava o suposto papa de Roma nessa ocasião?
É por estas e outras razões que não acreditamos que Pedro tenha fundado ou presidido a Igreja de Roma, como afirmam os católicos. Afirma também que ele é a pedra sobre a qual a igreja está edificada.  Considera-o também o porteiro do céu. O Pedro bíblico nunca aceitou adoração (Atos 10) e ele mesmo disse que a pedra era Cristo (I Pedro 2:4).

DEVEM OS CRISTÃOS EVANGÉLICOS PARTICIPAREM DAS FESTAS JUNINAS? NÃO !

VISÃO BÍBLICA COM TEXTOS EXTRAÍDOS DA BÍBLIA CATÓLICA CNBB (CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL)

FESTA JUNINA É UMA FESTA QUE INCENTIVA A IDOLATRIA E A COMUNICAÇÃO COM OS MORTOS. Êx 20:1-5;  Dt4:15,16 ; I Cor. 6:10 ; Dt 18:10,11 ; Ecl. 9:5,6

ÊX 20:1-5

Então Deus pronunciou todas estas palavras: 2. “Eu sou Javé seu Deus, que fiz você sair da terra do Egito, da casa da escravidão.3. Não tenha outros deuses diante de mim. 4. Não faça para você ídolos, nenhuma representação daquilo que existe no céu e na terra, ou nas águas que estão debaixo da terra.5. Não se prostre diante desses deuses, nem sirva a eles, porque eu, Javé seu Deus, sou um Deus ciumento: quando me odeiam, castigo a culpa dos pais nos filhos, netos e bisnetos;

DT. 4: 15,16

15.Prestem atenção em si mesmos! Vocês não viram nenhuma forma no dia em que Javé lhes falou no Horeb, no meio do fogo. 16. Portanto, não se pervertam, fazendo para vocês imagem esculpida em forma de ídolo: imagem de homem ou de mulher,

I COR. 6:10

9. Vocês não sabem que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não se iludam! Nem os imorais, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os depravados, 10. nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os caluniadores irão herdar o Reino de Deus.

Dt 18:10-11

10. Não haja em seu meio alguém que queime o próprio filho ou filha, nem que faça presságio, pratique astrologia, adivinhação ou magia, 11. nem que pratique encantamentos, consulte espíritos ou adivinhos, ou também que invoque os mortos. 12. Pois quem pratica essas coisas é abominável para Javé, e é por causa dessas práticas abomináveis que Javé seu Deus vai desalojar essas nações

ECL. 9:5,6

5. Os vivos estão sabendo que devem morrer, mas os mortos não sabem nada, nem terão recompensa, porque a lembrança deles cairá no esquecimento. 6. Seu amor, ódio e ciúme se acabam, e eles nunca mais participarão de nada que se faz debaixo do sol

FESTA JUNINA É UM PLÁGIO DO PAGANISMO. Dt. 18:9 ; Lv. 20:23

De janeiro à Junho, os meses são consagrados a deuses romanos. Jano, Fébrua, Marte, Aprilis, Maia, Juno. Júlio em homenagem a Júlio César, Agosto em homenagem a César Augusto. Setembro, o sétimo, Outubro, o oitavo, Novembro, o nono e Dezembro, o décimo.

Dt. 18:9

9. Quando você entrar na terra que Javé seu Deus vai lhe dar, não imite as práticas abomináveis das nações que aí vivem.

Lv. 20:23

23. Não sigam os estatutos das nações que eu vou expulsar da frente de vocês, pois elas fazem coisas que são abomináveis para mim.

 

Infelizmente, a igreja evangélica, não satisfeita com o evangelho puro e simples de nosso Senhor Jesus Cristo, tem copiado o mundo, trazendo para o seio da igreja, festas reprovadas pela ortodoxia bíblica. Forró gospel, festa na roça, blocos de carnaval, balada gospel e outras que, infelizmente, nos envergonham.

FESTA JUNINA É UMA FESTA DEPRECIATIVA POIS, DEPRECIA O HOMEM DO CAMPO E O MATRIMÔNIO. Pv. 17:5 ; Hb.13: 4

O homem do campo é alguém que merece nosso respeito. São trabalhadores e contribuem significativamente, para o crescimento da nação. Mas, o estereótipo do homem do campo nas festas juninas é de um homem desdentado, maltrapilho, com chapéu esvoaçado, digno de pena. Mas a bíblia condena essa prática.

Pv. 17:5

5. Quem zomba do pobre, insulta o Criador e, quem ri do infeliz, não ficará sem castigo.

O matrimônio também é ridicularizado nas festas juninas. O noivo não quer casar, e só casa por que o pai da noiva, que está grávida, o obriga com uma espinguarda. Mas, a bíblia enaltece o casamento.

Hb. 13:4

4. Que todos respeitem o matrimônio e não desonrem o leito nupcial, pois Deus julgará os libertinos e adúlteros.

CONCLUSÃO

Precisamos entender o que Paulo disse:-“ Nem todas as coisas nos convêm.” Infelizmente, muitos estão copiando estas festas numa clara tentativa de barrar uma evasão dos membros. Nosso compromisso é com o evangelho. Quem tem ouvidos para ouvir ouça. Termino com uma frase de Jonh Stott. “Não devemos preservar nossa santidade fugindo do mundo, nem sacrificá-la nos conformando a ele.” (John Stott)

Pr. Alexsandro Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *