Família: ainda há esperança!

  “E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom” (GÊNESIS 1:31). Assim o texto bíblico descreve a satisfação do Criador ao “passar em revista” sua obra meticulosamente pensada e executada ao longo de seis dias. Deus havia criado o dia e a noite, a flora e a fauna para povoarem os céus, a terra e as águas. Tudo Ele fez com sabedoria e beleza. Nesse contexto, surgiu a primeira família da história: “Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (GÊNESIS 1:27). Que maravilha!

   Deus criou o homem para a sua mulher, e a mulher para o seu homem. Adão e Eva eram mais do que um homem e uma mulher participantes do cenário edênico. Eram esposo e esposa: “Então Deus os abençoou e lhes disse: frutificai e multiplicai-vos” (GÊNESIS 1:28). A esperança de vida equilibrada e futuro feliz estava diante dos membros que formavam a primeira família de seres humanos. Eram abençoados por Deus e, assim, poderiam buscar a multiplicação da felicidade familiar com a geração de filhos.

   Deus não mudou seus planos, mesmo tendo o ser humano escolhido desobedecer o seu Criador e viver segundo sua vontade contaminada pelo pecado. Deus é perfeito em tudo que faz, inclusive quando o assunto é o modelo de família que Ele idealizou: um homem e uma mulher que se unem por amor, sob a bênção divina, para viverem em fidelidade mútua, reproduzindo seus valores nos filhos gerados como fruto do amor matrimonial. Este deve ser o modelo de família almejado por todos aqueles que querem viver de modo saudável.

   Se você não tem experimentado felicidade no seio da sua família, saiba que ainda há esperança para você! O seu modelo de família pode estar equivocado todavia, em Deus, você pode reencontrar as bases da família feliz. Busque na Palavra de Deus e no testemunho de famílias cristãs saudáveis os referenciais que se perderam em seu lar. Se for preciso, peça e conceda perdão aos seus familiares, iniciando uma nova caminhada de fidelidade, cuidado e temor a Deus, sem esquecer de convidar os demais membros da família para esse reencontro com os conselhos divinos.

   Ainda há esperança para as famílias desestruturadas, porque estas ainda podem contar com o favor d’Aquele que criou a família. Como afirmou o escritor Fiódor Dostoiévski, cremos que“Existe no homem um vazio do tamanho de Deus”. Quanto mais cresce o número de casais divorciados, a quantidade de filhos que desonram seus pais e as manifestações de reprovação ao modelo bíblico de família, mais cresce a desesperança da família moderna e, consequentemente, a necessidade de um retorno aos padrões divinos.

   Vamos orar pelas famílias que nos cercam, especialmente por aquelas que não têm desfrutado da felicidade prometida pelo Criador, e busquemos refletir sobre os conceitos bíblicos para a família. Para a família que se aproxima de Deus, ainda há esperança!

Pr. Tarcísio Farias Guimarães

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *