O POVO CHAMADO BATISTA

O POVO CHAMADO BATISTA

Quando falamos de BATISTAS hoje, precisamos considerar, antes de tudo, a fidelidade aos princípios e às doutrinas que identificam esse numeroso grupo evangélico. Isto porque existem muitos grupos que têm se utilizado do honrado nome BATISTA sem que conheçam nossa bela história, pratiquem nossos princípios e professem nossas doutrinas. Em nossa cidade, por exemplo, encontramos Igrejas autodenominadas BATISTAS que são, na verdade, Igrejas Pentecostais. Apenas utilizam-se do nome, e o fazem indevidamente, porque desejam ser associados à nossa respeitada história em Divinópolis e no Brasil.

O povo chamado BATISTA é caracterizado por princípios e doutrinas que historicamente têm sido empunhados como os pilares de sua fé, extraídos do Novo Testamento. Eis alguns que considero importantíssimos:

A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS: A Bíblia Sagrada é aceita como única regra de fé e prática, inspirada pelo Espírito de Deus, revelação completa da vontade de Deus para a humanidade (Isaías 40:8; Salmos 119:105; Mateus 22:29; Mateus 24:35; Atos 17:11; II Pedro 1:21).

A COMPETÊNCIA DO INDIVÍDUO: Nenhuma autoridade civil ou religiosa deve sobrepor-se à consciência do indivíduo, assim, cada pessoa é responsável por si mesma e diante de Deus (Ezequiel 18:20; João 1:9; João 5:29; Atos 5:29; I Timóteo 2:5).

A SALVAÇÃO PELA GRAÇA: Somos salvos unicamente pelo amor de Cristo manifestado na morte de cruz, por meio da qual recebemos nova vida depois de depositarmos fé em Jesus Cristo e, assim, somos salvos imediatamente da perdição eterna (João 3:16-18; Atos 4:12; Romanos 10:13; Efésios 2:8,9; I Pedro 1:18-23).

O ESPÍRITO SANTO EM CADA CRENTE: O Novo Testamento relata-nos a democratização do Espírito Santo na Igreja de Cristo, ou seja, o Espírito Santo está presente e opera continuamente na vida dos salvos por Cristo desde a conversão (Marcos 1:8; Atos 2:16-21; Romanos 8:9; Efésios 1:13; I Coríntios 12:13).

A IGREJA LOCAL É AUTÔNOMA E SOBERANA: A Igreja é o corpo vivo de Cristo, composta por crentes regenerados e guiados pelo Espírito da Verdade, sendo assim, a Igreja Local composta por esses crentes é um ajuntamento responsável e capaz de tomar decisões, as quais devem ser construídas democraticamente e em conformidade com a orientação das Sagradas Escrituras. (Efésios 1:22,23; Efésios 5:27; I Coríntios 12:18; Romanos 14:12).

A SEPARAÇÃO ENTRE IGREJA E ESTADO: O Estado deve ser constituído de forma independente da religião e a Igreja deve ser independente do Estado, a fim de que haja liberdade religiosa garantida a todos e igualdade de todos perante o Estado (Josué 24:15; Mateus 22:21; Atos 4:8-20; Atos 5:29; Atos 19:34-41).

AS ORDENANÇAS DE CRISTO: A Bíblia nos aponta duas ordenanças de Cristo para sua Igreja, as quais simbolizam a salvação: I) O Batismo por imersão, ministrado a pessoas que professam conscientemente a fé em Jesus Cristo, simboliza a morte e o sepultamento do velho homem, e a ressurreição para uma nova vida em Cristo. II) A Ceia do Senhor, celebração memorial em comemoração e proclamação da morte de Cristo, deve ser observada até à volta de Cristo a este mundo, quando sua Igreja será transportada para o Reino Celeste do Senhor (Mateus 26:26-29; Mateus 28:19; Atos 2:41,42; Atos 8:12; Atos 20:7; I Coríntios 10:16,17; I Coríntios 11:23-29; Colossenses 2:12).

Pr. Tarcísio Farias Guimarães

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *