Recomendações pastorais para os dias atuais

O Brasil atual tem vivenciado uma incômoda e prolongada instabilidade. Todos nós, em alguma medida, temos sentido os efeitos da crise moral, política, econômica e institucional que se instalou no Brasil. Quanta crise ao mesmo tempo! É nesse contexto que devemos nos aproximar do nosso Deus, em quem encontramos sabedoria para nos portarmos de modo equilibrado. A Palavra de Deus, viva e eficaz como é, dá-nos entendimento para caminharmos seguros em meio à grande crise do momento, mais uma da nossa história como Nação.

“Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade” (I TIMÓTEO 2:1,2). Ore ao Senhor por todos aqueles que estão envolvidos diretamente com a crise brasileira, especialmente pelos que não demonstram compromisso com a verdade e a justiça, a fim de que haja arrependimento e novo procedimento em suas vidas.

Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão” (MATEUS 7:1-5). Tolere a opinião do outro, procurando ouvir-lhe atentamente, a fim de compreender suas razões. Não é correto lutar contra o autoritarismo e a ditadura ideológica praticada por alguns partidos políticos, enquanto você se comporta da mesma forma. Talvez o outro (que não precisa ser considerado um adversário!) tenha razão naquilo que diz.

Aparte-se do mal, e faça o bem; Busque a paz, e siga-a. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal” (I PEDRO 3:11,12). Seja um pacificador, rejeitando ações e palavras violentas. Prefira a força das ideias e a eficácia da oração. E nunca deixe de lutar para que justiça seja feita, inclusive àqueles a quem você não admira.

Recomendo a você, querido(a) irmão(ã), que viva como testemunha fiel do Senhor e embaixador dos céus no mundo em que os homens experimentam crise crescente e generalizada.

Pr. Tarcísio Farias Guimarães

Deixe uma resposta