FAMÍLIA FUNCIONAL

FAMÍLIA FUNCIONAL

 

É lugar comum considerar que a família é a célula mater da sociedade, assim como afirmou Rui Barbosa. Como célula mãe da sociedade, a família precisa funcionar saudavelmente e, assim, formar gente bem estruturada para a vivência em sociedade. Caso contrário, testemunharemos a socialização das crises familiares em grau elevado. Violência física, segregação do semelhante, consumo de drogas, apatia profissional, tolerância ao aborto e ao suicídio, desrespeito às leis, ansiedade, dentre outros males do nosso tempo, têm suas raízes fincadas no solo das famílias disfuncionais.

Uma família disfuncional, isto é, que não funciona como deveria, normalmente reproduz pensamentos e comportamentos equivocados que as gerações passadas construíram. Sem que haja uma avaliação crítica das famílias de origem, qualquer família poderá reproduzir quadros doentios de falta de carinho, ausência de comunicação eficaz, autoritarismo, segregação e indiferença diante das dificuldades do outro.

A Bíblia nos apresenta o belo quadro de uma família funcional em Colossenses 3:18-21, que ensina: “Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas. Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor. Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo”. Cada ente da família, consciente do seu valor, deve assumir suas responsabilidades e gozar da bênção que é a vida no lar.

Uma família funcional cuida dos seus membros. As emoções são acompanhadas com interesse e estímulo em prol das atitudes saudáveis. O carinho e a disciplina com amor são dispensados a todos que necessitam destes recursos para que vençam suas limitações interiores. Não há espaço para o menosprezo do outro, especialmente nas áreas em que são enfrentadas as maiores dificuldades.

Para que funcione bem, a família precisa conhecer com clareza o papel de cada um dos seus membros. O pai deve liderar, proteger e prover meios para o desenvolvimento dos seus familiares. A mãe deve somar esforços com o pai e trabalhar para que cada membro da família tenha recursos disponíveis para vencer os desafios do viver. Os filhos devem receber amor, instrução e valorização para que se percebam como pessoas capazes e frutíferas, sempre honrando aqueles que cuidam de suas vidas. Os cônjuges devem investir no relacionamento matrimonial, revisando valores e planejando os passos seguintes da família. Claro está que muitas famílias são formadas por mães e filhos, outras por pais, filhos e avós, dentre outras possíveis arrumações, sendo necessário o claro discernimento do papel de cada indivíduo que compõe o tecido familiar.

A família funcional pensa no futuro, por isso, age com proatividade e na dependência de Deus. Reconhece que é imperfeita, mas não se conforma com as disfunções que surgem no seio da família. Busca tratamento e cura para que cada um dos seus queridos viva com equilíbrio e felicidade as etapas da sua trajetória neste mundo, tornando-se a matriz de uma sociedade mais justa e acolhedora. Nessa caminhada, podemos contar sempre com a providência divina.

 

 

Pr. Tarcísio Farias Guimarães

Deixe uma resposta