SÓ NÃO VAI QUEM JÁ MORREU

SÓ NÃO VAI QUEM JÁ MORREU

 

Nessa época do ano, brasileiros são expostos às músicas que divulgam o carnaval. Dentre as mais conhecidas, estão duas letras intercambiáveis, que se adaptam ao formato do carnaval baiano ou da região sudeste. Alardeiam que “atrás do trio elétrico (ou da escola de samba) só não vai quem já morreu”. Conceitos religiosos, com referências ao diabo e a outras entidades religiosas, são transmitidos nas duas versões. A letra mais antiga diz que aquele que participa do carnaval “Nem quer saber se o diabo nasceu foi na Bahia. Foi na Bahia. O trio elétrico. O sol rompeu. No meio-dia. No meio-dia”. A outra letra diz: “Me leva que eu vou
sonho meu. Atrás da verde-e-rosa só não vai quem já morreu. Bahia é luz. De poeta ao luar. Misticismo de um povo. Salve todos orixás”.

Atrás do trio elétrico, ou da escola de samba, não vai quem já morreu para a velha vida de submissão ao pecado. Quem já morreu para a ditadura do prazer e para o estilo de vida inconsequente não seguirá os foliões drogados, prostituídos, violentos, alienados ou, pelo menos, conformados com tudo aquilo que acontece livremente no carnaval e é estimulado por seus patrocinadores a cada novo ano.

O Apóstolo Paulo, usado por Deus para escrever aos crentes que viviam em Roma no 1º século, sentencia: “considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências” (ROMANOS 6:11,12). Assim como foi necessário confrontar os crentes do passado, é preciso confrontar os crentes do presente para que não se submetam às paixões da carne e, pouco a pouco, acostumem-se com os argumentos de quem convive bem com aquilo que é reprovado por Deus. Ouviremos que carnaval é apenas uma manifestação cultural brasileira, uma festa inocente. Mas, quem já morreu para o mundo que abraça o carnaval, sabe que esse evento é parte do calendário católico, pensado para ser um tempo de liberação total da carne, patrocinado por empresas que lucram com sua licenciosidade e tolerado por governos que precisam distrair seu povo empobrecido.

Você já morreu para o mundo e vive para Cristo? Então, afaste-se de todos os eventos relacionados ao carnaval. Explique às pessoas que te cercam que a origem e os propósitos do carnaval não combinam com sua nova vida. Não permita que seus filhos participem de eventos carnavalescos na escola, na rua ou no seio de sua família. Não acredite na autenticidade de Igrejas que, apresentando-se como evangélicas, promovem “carnaval gospel”. Estão divididas e não podem servir a Jesus Cristo, o qual se apresenta como Senhor absoluto daquele que a Ele se submete.

Atrás de Jesus Cristo, na dependência do Espírito Santo, só vai quem já morreu para si mesmo e para o mundo corrompido. A caminhada daqueles que O seguem é desafiadora e, por vezes, difícil, mas o destino preparado pelo Pai é recompensador e sem comparação. “Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; Pelas quais coisas vêm a ira de Deus sobre os filhos da desobediência” (COLOSSENSES 3:3,5,6).

 

Pr. Tarcísio Farias Guimarães

 

Deixe uma resposta