JESUS CHEGOU!

JESUS CHEGOU!

 

Fui visitar uma ovelha querida que, com mais de 80 anos de idade, estava recuperando-se de severa enfermidade. Ao chegar em sua casa, fui avistado pelo neto, criança que contava poucos anos de idade, e com ela morava. Antes que eu tocasse a campainha, a criança correu ao encontro da avó no interior da casa e gritou: – Jesus chegou! A avó, perplexa, correu para ver Jesus. Não conteve o largo sorriso ao perceber que o pastor havia chegado para visitá-la, como ficara combinado no dia anterior. O netinho, frequentador assíduo das atividades da Igreja, ouvia falar sobre Jesus a todo instante e conhecia o pastor da Igreja, mas ninguém imaginara que ele confundia as duas pessoas.

Risos à parte, eu e ela refletimos acerca da visão que uma criança tem do pastor. Figura marcante na vida da Igreja, o pastor lidera pessoas no cumprimento da missão confiada por Cristo, proclama o Evangelho com intrepidez e, não raras vezes, é convidado por pessoas e instituições que extrapolam os limites da Igreja para pronunciar-se. Fala tanto sobre Cristo que pode levar pessoas a aproximarem-se ou distanciarem-se do Evangelho. Para as crianças, o mundo não é muito abstrato. Falar de Jesus é o mesmo que ser de Jesus, ou ser o próprio Jesus.

Deveríamos admitir facilmente que, quando chega um pastor em algum lugar, na verdade chega Jesus ali. O Espírito de Jesus habita e conduz seu servo. A Palavra de Jesus deve ser o assunto predileto de um pastor verdadeiro. Os valores do Evangelho de Jesus devem dirigir as escolhas do pastor. “Cristo vive em mim” deve ser a declaração ouvida, mesmo sem palavras, de um pastor fiel.

É estranho percebermos que, por causa de escândalos ou oposição religiosa, em muitos lugares, nos nossos dias, quando chega um pastor, as pessoas entendem que chegou ali um vendedor de bens sagrados, um animador de auditório ou um falastrão mal intencionado. Pensam em tudo, mas não conseguem pensar em Jesus. Fica, para os falsos pastores, o alerta da Palavra de Deus: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7).

Conheço muitos pastores piedosos, íntegros, trabalhadores, estudiosos. Alguns destes, me encorajam a servir a Cristo no ministério pastoral com alegria e fidelidade. Quando estes chegam em algum lugar, ainda se percebe nas pessoas a mesma impressão do garoto que me confundiu com Jesus. Estes pastores chegam e as pessoas percebem que Jesus chegou!

 

Pr. Tarcísio F. Guimarães

Deixe uma resposta