PAZ QUE EXCEDE TODO O ENTENDIMENTO

PAZ QUE EXCEDE TODO O ENTENDIMENTO

 

No 1º século da era cristã, sob intensa perseguição romana, os cristãos de Filipos perceberam a ameaça constante à sua paz e consideraram a possibilidade de se entregarem à ansiedade. O Apóstolo Paulo, que também sofria tais perseguições, além das dificuldades enfrentadas na liderança da Igreja de Cristo, escreveu da prisão o maravilhoso conselho divino aos irmãos filipenses: “Não estejais ansiosos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças” (FILIPENSES 4:6). O apelo da Carta é seguido de uma promessa que é, ao mesmo tempo, uma consolação: “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” (FILIPENSES 4:7).

Numa época de ansiedade generalizada como a nossa, é preciso relembrar esta verdade da Palavra de Deus. A ansiedade é sinônimo de aflição, agonia, impaciência. É um estado psíquico marcado por grande apreensão. É resultado do medo frente a uma situação desagradável ou perigosa, mesmo antes desta se realizar. Nas palavras de Billy Graham, “ansiedade é o resultado natural de centralizarmos nossas esperanças em qualquer coisa menor do que Deus e sua vontade para nós” (Billy Graham).

Devemos nos lembrar que Jesus, ao apresentar-se ressurreto aos seus discípulos, num momento de grande ansiedade para eles, sabendo que muitos ainda não criam que a cruz estava nos planos do Pai, saudou-os com as seguintes palavras: “Paz seja convosco!” (JOÃO 20:19,21,26). As palavras de Jesus indicam o desejo de ver seus servos bem em todos os sentidos, mesmo em circunstâncias adversas. Ele quer que tenhamos paz!

A paz que vem de Deus não é entendida facilmente pelo homem natural, acostumado a buscar soluções em si mesmo. Esta paz que o salvo experimenta é evidência da presença do Espírito Santo em sua vida (GÁLATAS 5:22; JOÃO 14:27; ROMANOS 5:1; 15:13). Não é, meramente, um estado mental psicológico.

A paz que excede todo o entendimento é resposta de Deus à oração daquele que está diante das incertezas do viver. Rejeitando a entrega fácil à ansiedade, o crente em Jesus entrega-se à oração, demonstrando confiança em Deus e gozando da maravilhosa certeza de que podemos viver na presença do Senhor pelo seu Santo Espírito, Aquele que é nosso Consolador, nosso Ajudador permanente.

A paz que excede todo o entendimento guarda a mente e o coração do salvo, tal como uma sentinela guarda a pessoa que está sob sua responsabilidade. Os pensamentos (mente), agora influenciados por Jesus, e os sentimentos (coração), submetidos à Palavra de Jesus, não mais serão terreno fértil para a ansiedade. Sabemos e sentimos que Deus nos dá a sua paz, por isso, devemos viver com a mesma certeza do Apóstolo Pedro: “Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós” (I PEDRO 5:7).

Jesus não economizou no oferecimento da sua paz. Com fé, em constante oração, provemos da paz que vem de Deus!

 

Pr. Tarcísio F. Guimarães

Deixe uma resposta