ALEGRAI-VOS!

ALEGRAI-VOS!

 

Escrita na prisão, enquanto o Apóstolo Paulo estava preso, a carta aos filipenses é apelidada de “carta da alegria”. Seu conteúdo menciona dezessete vezes a alegria da vida cristã e a satisfação plena que o cristão experimenta em Cristo. Ainda nas primeiras linhas, o Apóstolo afirma que vivia “fazendo sempre, com alegria, oração por todos” (FILIPENSES 1:4). Os irmãos lembrados constantemente em oração, são também chamados de “minha alegria e coroa” (FILIPENSES 4:1).

O Apóstolo Paulo era fundador e continuava cooperando com a Igreja que estava em Filipos, na medida em que encorajava os irmãos a servirem ao Senhor com alegria enquanto sofriam ataques internos e externos, de modo semelhante a ele mesmo. “Entretanto, mesmo que seja eu oferecido por libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, alegro-me e, com todos vós, me congratulo. Assim, vós também, pela mesma razão, alegrai-vos e congratulai-vos comigo” (FILIPENSES 2:17,18). O convite central da carta está em FILIPENSES 3:1, que diz: “Quanto ao mais, irmãos meus, alegrai-vos no Senhor”. Este é o apelo permanente da Palavra de Deus aos crentes.

É preciso confiar no amor de Deus por seus filhos para que a alegria da vida cristã seja preservada. O Deus Todo-Poderoso importa-se com sua criação e jamais age motivado pelo mal, por isso, enquanto enfrentam as lutas próprias desse mundo mal, os cristãos devem alegrar-se na esperança, enfrentar a tribulação com paciência e perseverar em oração (ROMANOS 12:12). Até que a vontade de Deus seja conhecida e o seu tempo seja cumprido, é preciso caminhar pela fé para que a alegria do crente não morra.

Relembrar as promessas de Deus para o seu povo é uma atitude que mantem o cristão alegre frente às surpresas desagradáveis do viver. Relembrar que Cristo ressuscitou, vencendo a morte e todos os nossos inimigos, e que Ele nos justificou por sua obra na cruz, garantindo nossa entrada no céu, é apegar-se às grandes razões da nossa alegria. Jesus nos diz que devemos nos alegrar por termos o nome “arrolado nos céus” (LUCAS 10:20). Na eternidade com Cristo, não mais existirá morte, luto, pranto ou dor (APOCALIPSE 21:4).

Alegrai-vos no Senhor, povo de Deus, renunciando o padrão mundano de alegria! Nossas limitações nos levam à dependência de Deus. Nossa alegria não está na conquista daquilo que este mundo caído elege como prioridade, a exemplo de riqueza material, fama e prazeres sexuais. Não existimos para nossa própria glória, mas para a glória daquele que nos criou e sustenta. “A alegria do Senhor é a nossa força” (NEEMIAS 8:10).

Devemos sempre nos alegrar, o que é possível apenas para quem está no Senhor. “Grandes coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres.” (SALMOS 126:3).

 

 

Pr. Tarcísio F. Guimarães

Deixe uma resposta