PAZ PARA A CIDADE

 PAZ PARA A CIDADE

 

O ataque que vitimou oito pessoas na cidade de Suzano, Grande São Paulo, na quarta-feira passada, é um lembrete a todos nós. Somos vítimas do mundo desequilibrado e afastado de Deus que criamos. Não apenas na Agência de Automóveis atacada inicialmente e na Escola Estadual Raul Brasil, atacada posteriormente pelos dois jovens que também morreram, mas em todos os lugares, vivenciamos um contexto de alta tensão que nos mata um pouco mais dia após dia.

Eu alcancei a época em que crianças jogavam futebol nas praças da cidade, andavam de bicicleta livremente pelas ruas à noite e subiam em árvores sem que necessitassem de acompanhamento ininterrupto de seus pais. Não havia telefones celulares e câmeras de vigilância por toda parte. Mas também não ouvíamos notícias de sequestros e assassinatos a todo instante. Meus filhos, mesmo em minha companhia, já não podem frequentam esses espaços da cidade, agora dominados por gente que se deixou dominar pela maldade.

Não idealizo o passado. O pecado, que nos divorciou de Deus e seus maravilhosos planos no princípio da história da humanidade, deixou suas marcas nos dias de meus pais, nos dias da minha infância e continua deixando marcas negativas nos dias dos meus filhos. A tensão é crescente e o mundo, como está organizado, nos dá amostras a cada dia de que esta deve aumentar. A Palavra de Deus, infalível que é, já antecipou esse cenário.

Não podemos negar que estamos todos tensos. Aconteceu em Goiânia, agora em Suzano e, infelizmente, poderá acontecer numa Escola de qualquer cidade. Temos medo de descer do carro para abrir o portão da garagem. Ficamos em alerta sempre que paramos num semáforo. Tememos andar em certas ruas, em certos horários. Compramos cercas elétricas, contratamos companhias de seguro, utilizamos aplicativos que visam aumentar a segurança pessoal. Estamos tensos em casa, no trabalho, na escola, nas lojas e nas ruas. O que faremos para diminuir a tensão?

Sejamos agentes de paz para a cidade. Neste mundo mal, desfrutamos da paz que recebemos do Senhor e podemos apresentá-la a todos. Podemos ser gentis, honestos, ordeiros e, acima de tudo, bons crentes em Jesus. Assim como o Senhor instruiu seu povo cativo num lugar inóspito, por meio do profeta Jeremias, somos instruídos ainda hoje pela Palavra: “E procurai a paz da cidade (…) e orai por ela ao Senhor; porque na sua paz vós tereis paz.” (JEREMIAS 29:7).

Devemos orar pela cidade. Autoridades e gente comum estão vivendo num ambiente de alta tensão. Eles precisam ser apresentados diante de Deus em oração. Nós precisamos orar ao Senhor buscando sabedoria, discernimento e fortalecimento para que a tensão da sociedade e das famílias não nos leve ao desespero. Lembremo-nos de SALMOS 17:6, que nos assevera:  “Eu te invoquei, ó Deus, pois me queres ouvir; inclina para mim os teus ouvidos, e escuta as minhas palavras”.

 

Pr. Tarcísio Farias Guimarães

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *